Seguinos en
FaceBook
Página Principal arrow Actualidad cultural  
miércoles, 26 de julio de 2017
Institucional
Página Principal
Información Institucional
Enlaces de interés
Servicios
Actualidad cultural
Documentos
Eventos
Culturales
Corredores culturales
Convocatorias
Entre redes
Red Interlocal de ciudades iberoamericanas para la cultura
Unidad temática Cultura de la Red Mercociudades
Red de Centros Culturales de América y Europa
Red Iberformat
Les Rencontres
Redesearte Paz
Herramientas
Buscar
WebMail
Contáctenos
Culture21
Red Latinoamericana de Arte y Transformación social
Actualidad cultural
OGlobo
  • Nova cinebiografia vai focar na formação do escritor J.R.R. Tolkien

    20151023-202013.jpgRIO — O escritor J.R.R. Tolkien (1892-1973), autor de sucessos como "O Senhor dos Anéis" e "O Hobbit", vai ganhar não só uma, mas duas cinebiografias nos próximos anos. O cineasta finlandês Dome Karukoski foi contratado para dirigir "Tolkien", filme que vai focar no período em que o sul-africano "acha amizades, amores, e inspiração artística em um grupo de amigos da escola antes do início da Primeira Guerra Mundial, em 1914". Links J.R.R. Tolkien

    Segundo o site "Deadline", Nicholas Hoult (de "X-Men: Primeira classe" e "Mad Max: Estrada da Fúria") é o favorito para interpretar Tolkien, que lutou na Primeira Guerra antes de escrever os livros de fantasia pelos quais é famoso.

    Em novembro passado, foi divulgado que o estúdio New Line Cinema estará por trás do filme "Middle Earth", a ser dirigido por James Strong. O longa vai seguir o romance entre Tolkien e Edith Bratt, que se tornaria sua mulher, e a inspiração principal de uma das suas primeiras histórias sobre a Terra-Média.

    Analisando as premissas, parece que os filmes de Karukoski e de Strong não vão explorar o mesmo terreno. "Tolkien" mostrará o grupo de amigos formando por Robert Gilson, Geoffrey Bache Smith, Tolkien e Christopher Wiseman, que se autointitulavam "O Clube do Chá e a Sociedade Barroviana (TCBS, na sigla em inglês). Os quatro eram muito próximos e palpitavam na produção literária de cada membro do grupo. Com o início da guerra, eles se juntaram ao exército e lutar na linha de frente.

    Gilson e Smith acabaram sendo mortos, o que impactou Tolkien profundamente. "A guerra foi como um inverno em meus poderes criativos iniciais", descreveu o escritor em certo ponto de sua vida.

    Tolkien acabou incorporando algumas de suas experiências de guerra tanto em "Hobbit" quanto em "O Senhor dos Anéis", utilizando a imagem brutal dos combates em seus livros, e canalizando o grande sentimento de perda que a Europa sentiu após a guerra.

    Ainda não há data de lançamento confirmada para nenhum dos dois filmes sobre o escritor.



  • Terceira temporada de 'True detective' terá Mahershala Ali como protagonista

    Mahershala AliSÃO PAULO - O ator Mahershala Ali, que ganhou o Oscar de melhor ator coadjuvante por sua atuação em "Moonlight", assinou contrato com a HBO para fazer a terceira temporada de "True detetctive". A informação foi confirmada nesta quarta-feira pelo presidente de programação do canal de TV a cabo, Casey Bloys, em um eventio na Television Critics Association.

    Bloys disse aos repórteres que agora está em busca de um diretor e que leu até agora cinco propostas de roteiros. Segundo ele, todos "são incríveis".

    A primeira temporada de 'True Detective", com Matthew McConaughey e Woody Harrelson, foi um sucesso de público e crítica. No entanto, a segunda, estrelada por Colin Farrell, Vince Vaughn e Rachel McAdams, não teve a mesma recepção positiva.



  • Instituto Casa da Ópera vence edital para administrar Teatro Municipal de SP

    SÃO PAULO - A organização social Instituto Casa da Ópera venceu edital para escolha da entidade que administrará o Teatro Municipal de São Paulo. A entidade será responsável também pela gestão da Praça das Artes, dos acervos, da central técnica de produções artísticas Chico Giacchieri e dos corpos artísticos profissionais e semi-profissionais. Para isso, vai gerir um orçamento de cerca de R$ 120 milhões por ano, dos quais R$ 90 milhões são destinados a cobrir a folha de pagamento.

    Theatro Municipal de São PauloDiretor artístico do municipal desde fevereiro, o cenógrafo e dramaturgo Cleber Papa criou o instituto em 2006 e o presidiu por dois anos. Dali em diante, tornou-se seu diretor artístico, até setembro de 2016, quando pediu demissão para responder a uma oferta de trabalho em Portugal.

    A mulher de Papa, Rosana Caramaschi, foi associada à instituição desde a fundação e hoje presta serviços como diretora artística de produção. Entre outros projetos, atua na função no Ópera Curta, um programa permanente do governo do estado de São Paulo, através da Secretaria de Cultura, desde 2009.

    - Rosana continua lá (no Instituto Casa da Ópera). Nunca ocupou cargo de direção. Atua apenas como prestadora de serviços - disse o diretor artístico do Teatro Municipal de São Paulo, em entrevista a O GLOBO.

    Para Papa, a escolha do Instituto Casa da Ópera como organização responsável pelo teatro não se traduz em conflito:

    - Essa decisão cabe ao secretário (André Sturm). O currículo da empresa foi examinado, passou por todos os processos, recebeu notas de acordo com critérios pré-estabelecicdos. O Tribunal de Contas, diga-se, está sendo mais realista que o rei para definir com clareza cristalina quais contratos poderão ser feitos e de que maneira para evitar a minima possibilidade de se obter vantagens - completou.

    Desde que o edital foi lançado, ainda na gestão do prefeito Fernando Haddad, apenas uma entidade havia se apresentado para a concorrência, justamente o Instituto Casa da Ópera. Em maio, já na gestão João Doria, a prefeitura mudou o modelo de disputa e derrubou a exigência para que as entidades fossem qualificadas como organização social no município.

    A Secretaria Municipal de Cultura, por meio de nota, esclareceu que as regras foram mudadas para "ampliar a competitividade no certame de escolha": "A Secretaria Municipal de Cultura mudou a natureza do chamamento, utilizando a Lei nº 13.019/2014, o Marco Regulatório das Organizações da Sociedade Civil. Regulamentado pelo Decreto nº 57.575/2016, o Marco permitiu que qualquer instituição cultural com experiência em gestão de projetos culturais pudesse competir. A Casa da Opera ganhou o certame por ter apresentado a proposta de menor preço, mais diversificada em termos de projetos e por ter maior expertise".

    O instituto teve apenas um concorrente na disputa, o Instituto Odeon, organização social sediada no Rio de Janeiro com um escritório em São Paulo. De acordo com ata de julgamento publicada no Diário Oficial do Município, a entidade vencedora terminou com 9,05 pontos e a segunda colocada com 6,1 pontos na classificação a partir dos critérios exigidos.

    O Instituto Casa da Ópera substitui o Instituto Brasileiro de Gestão Cultural (IBGC), cujo contrato foi encerrado em junho por decisão judicial em razão de ação por improbidade e desvio de recursos públicos envolvendo os antigos dirigentes. William Nacked, ex-diretor do IBGC, fechou acordo de delação premiada com o Ministério Público Estadual de São Paulo (MPE-SP) e admitiu participação em um esquema que desviou ao menos R$ 15 milhões de verbas públicas.



  • Protesto com gritos de 'Fora, Temer!' é registrado antes da abertura da Flip

    PARATY — Enquanto centenas de pessoas chegavam à Praça da Matriz para acompanhar a mesa de abertura da Flip, nesta quarta-feira, um forte coro tomou o local. Os gritos de "fora, Temer!" foram o primeiro momento em que um protesto promovido pelo Sindicato Estadual dos Profissionais da Educação (Sepe-RJ) foi de fato notado pelo público. Os manifestantes foram à porta da Igreja da Matriz, onde ocorre o evento, com cartazes e panfletos para reivindicar melhores condições de trabalho e denunciar a falta de pagamento dos salários. Links Flip 26/07

    Os gritos contra o presidente denunciado por corrupção passiva uniram visitantes que formavam a fila de entrada na porta da Igreja da Matriz, outros que passeavam pela praça, e aqueles sentados dentro da tenda onde foi montado um telão para exibição do evento.

    O protesto acontece pacificamente e sem maiores transtornos. Cerca de 20 pessoas, dos núcleos de Barra Mansa, Volta Redonda e Piraí, se posicionaram entre a igreja e a tenda, na ponta da praça. Com dois cartazes estendidos, e discursos de lideranças do grupo, os manifestantes faziam analogias com Lima Barreto, o homenageado dessa edição da Flip. Uma das mensagens num cartaz dizia "O triste fim de milhares de Limas Barretos".

    O professor Matheus Wernech disse que, apesar da extensa pauta, a reivindicação principal desta quarta é a denúncia da falta de pagamentos dos pensionistas e aposentados, a submissão do trabalho análogo a escravidão dos educadores e o fechamento de escolas.

    — O governo está barbarizando e precarizando a educação, fechando turmas e escolas, e deixando pais e mães de famílias sem salários — explicou Wernech, que disse que as panfletagens serão constantes durante a Flip. — O sindicato está sempre presente, até porque a situação da educação pública é precária. O núcleo do Rio de Janeiro já veio, e a ideia é que outras pessoas venham ao longo da semana.



  • Em vídeo, Lupita Nyong'o mostra que se disfarçou de ranger rosa para circular pela Comic-Con

    RIO — Até vencedores do Oscar têm direito de se divertir na San Diego Comic-Con. Foi o que provou Lupita Nyong'o, premiada como melhor atriz coadjuvante de 2014 por "12 anos de escravidão", em vídeo descontraído publicado em suas redes sociais, nesta quarta-feira.

    Lupita, que estava na feira para participar do painel sobre o filme "Pantera Negra", da Marvel, em que interpretará a personagem Nakia, aproveitou o tempo livre para circular pelo evento, fazer dancinhas animadas, aplaudir outras mesas, posar para fotos... Tudo isso fazendo cosplay de Power Ranger rosa. Veja abaixo: Lupita na Comic-Con

    O disfarce, aparentemente, deu certo. "Meu Deus! Você veio para a minha mesa! Eu conversei com você e agora quero morrer!", comentou uma fã no Twitter.